Um craque...que pensa!

Um craque...que pensa!

"Quando foi ao seu treino de captação, diz Guardiola que pensou mas como vão reparar em mim, se não sou veloz, não finto, sou magro, não remato e só faço passes? Repararam. Porque o olheiro era sensível à…inteligência." em Planeta do Futebol

 

Há já bastante tempo, li um artigo que dizia que os adeptos preferem as "loiras". Falava do lado estético do jogador e da impressão que este causa no adepto. 

No Domingo passado, atraído pela ginga de um jovem jogador, lembrei-me desse texto de Luís Freitas Lobo. 

O cabelo loiro, os caracóis rebeldes seguros pela fita no cabelo, captavam a atenção do público... meias puxadas até ao joelho, t-shirt para fora...pinta até dizer chega. Primeiros toques na bola e, facilmente, captou a minha atenção. 

O adepto tem esta tendência, mesmo que involuntária, de se encantar, com maior facilidade, por este tipo de jogadores. Devido à descontração do momento, deixei-me levar na onda. 

Lembrei-me do artigo e comecei a por algumas reticências. 

Uns dribles engraçados, mudança de velocidade interessante e um bom remate.  Já dava para lhe atribuir um "muito bom". 

O que vi despertou-me curiosidade. O miúdo, jogador do escalão de infantil, tinha a bancada a seus pés. O público gostava do que via e, rapidamente, fixou a sua cara. 

Fui ver outro jogo dele. Através de um olhar mais atento percebi...não se tratava de mais um tecnicista com boa capacidade de drible e bom remate, tinha algo mais. Tinha algo diferenciador. Pensava!

E como pensava...

Bola na esquerda, destro, puxa para dentro com um drible dos seus, mete velocidade e, ainda longe, enquadra com a baliza...já só pensava no golaço que iria ver. Enganei-me, bola redondinha ao segundo poste, passe milimétrico para isolar o colega que falhou, mas o lance foi de génio. 

O recital continuou...atrair, fixar, libertar no tempo correto. Criatividade, imaginação, rebeldia, ousadia e muito altruísmo! Tão fabuloso a descobrir linhas de passe como no 1x1. Encantador. 

Havia ali dedo do treinador, certamente. Não era inibido nem tinha a ação limitada...era "só" um miúdo inteligente que analisava bem os contextos. 

Este não engana e será fácil de descobrir. Adeptos e olheiros, estarão de acordo, é craque. 

A questão é que nem todos são "loiras", nem todos têm pinta, nem todos são rápidos e fortes, nem todos são dribladores, etc. 

Escondidos, passando despercebidos por não terem estilo ou grandes atributos físicos, estão, por vezes, grandes craques. E são esses que custam a encontrar:

Os inteligentes.

Partilhar:

Sobre Bruno Fidalgo

Bruno Fidalgo

"Gosto de ser genérico. No futebol, tens de tratar de entender os momentos do jogo e dar as soluções que o momento do jogo precisa. Às vezes tens espaço, às vezes não tens, tens que o procurar. Ao fim ao cabo queremos tudo. Ser capazes de entender bem cada momento e dar respostas a esse momento. Sabendo, efectivamente, que queremos ter bola, queremos ser protagonistas. Sabemos que às...

  • Blog
  • RSS
  • Site
  • E-mail

Comentários

Filtrar Artigos

O que se passa hoje?