2016-02-22 14:48:15

Modelo de Jogo - Um princípio ou um fim

Começo este texto falando dos sócios dos clubes. São eles que votam e por isso elegem quem deve comandar os destinos de um clube. 

Quando se vota deve-se ter a consciência que se esta a traçar um objectivo para o clube, por isso, deve se eleger um presidente não pelas suas posses mas sim pela sua visão, as suas ideias para o clube. Num processo de eleições, quem se candidata, deve transmitir as suas ideias para o clube, permitindo que os sócios possam votar em conformidade com aquilo que desejam.

Tendo um presidente ou os dirigentes do mesmo mandato o poder da decisão, são eles que podem tomar a decisão se querem que a formação trabalhe um modelo de jogo até chegar ao patamar superior.Ou seja, penso que o facto de a formação trabalhar sempre o mesmo modelo de jogo parte de uma decisão que vem de cima, daquilo que se quer para o clube.

Penso que o dilema está no que é melhor para o jogador da formação.Se o próprio clube pensa trabalhar a mesma metodologia desde a formação atá aos séniores durante muito tempo, ou seja, ter uma estrutura assente num único modelo de jogo, veja-se o caso do Barcelona, penso que é vantajoso para o jogador.

Ao trabalhar sempre o mesmo modelo de jogo, o desportista vai adquirir uma melhor coordenação e uma melhor relação interpessoal com as dinâmicas da equipa, ou seja, um jogador que trabalha muitos anos o mesmo modelo de jogo adapta-se melhor aos movimentos e às exigências da ideia da equipa em função de  cada situação de jogo.

No entanto, dada a globalização do futebol, muito dificilmente um bom jogador jogará apenas numa equipa. Sendo o jogador a maior fonte de riqueza de um clube, torna-se importante valorizar os seus activos para depois tirar proveito dos mesmos, ou seja, é impensável desprezar o desenvolvimento individual do jogador. Por isso, parece evidente que será mais benéfico para o jogador treinar situações para que possa evoluir as suas capacidades e potencialidades, tentando ultrapassar as suas debilidades.

Este trabalho deve ser feito sempre enquadrado com aquilo que é o jogo de futebol, trabalhando as várias vertentes do jogo e os seus princípios.

Colocar todos os jogadores a fazer remates à baliza da mesma forma e de forma descontextualizado do jogo não é a melhor solução para poder evoluir os jogadores. Deve-se sim, manipular os exercícios tendo em conta as características dos jogadores, sendo que no mesmo exercício, os jogadores podem trabalhar aspectos diferentes do jogo.

Sendo assim, este parece ser o melhor método de formação, uma vez que permite ao jogador, quando confrontado com diversas situações, poder solucioná-las da melhor forma sem estar um treinador no banco a gritar com ele para lhe dizer qual a acção que ele deve fazer.

Tiago Patita, 2014

Inscreva-se na nossa Newsletter

Inscreva-se na nossa Newsletter para receber as notícias actualizadas na sua caixa de correio.
Partilhar:

Sobre Tiago Patita

Tiago Patita

...

  • E-mail

Comentários

Filtrar Artigos