Entrevista a Paulo Grilo

Entrevista a Paulo Grilo

Paulo Grilo é o actual treinador de Guarda Redes do Orlando City dos Estados Unidos. Apaixonado pelo treino e pela evolução do mesmo, com uma carreira com provas já dadas, Paulo Grilo mostra ambição, as suas ideias e como trabalha.

Explique-nos um pouco o seu percurso até aqui (Orlando City SC).

A minha carreira como treinador começou aos 38 anos quando deixei de jogar e tive a felicidade de ser convidado pelo grande Mister Toni Oliveira para integrar a sua equipa técnica tendo a ficar a trabalhar com ele durante 6 anos.

Estivemos em países como a Arábia Saudita, Emirados árabes unidos e Irão. Foram 6 anos maravilhosos com uma aprendizagem muito grande. Posteriormente, fui convidado para ir para a Bulgária pelo Mladenov de quem tinha sido colega no Estoril, enquanto jogador na década de 90. Estive no CSKA durante uma época e é ai que surge o convite para vir trabalhar para os USA e assinei dois anos pelo Philadelfia Union. Neste momento estou num novo desafio na minha carreira no Orlando City

 

Quem é o mister Paulo Grilo fora do Futebol?

Sou um rapaz apaixonado pela vida e especialmente por as minhas filhas. São elas o grande pilar da minha vida. Tento desfrutar ao máximo da companhia delas pois, infelizmente, não me podem acompanhar nestas aventuras pelo mundo. Contudo, sempre que podemos estamos juntos e somos muito felizes. Como HOBBY tenho a paixão pela cozinha. Nas minhas horas livres gosto muito de cozinhar e de ter junto de mim os meus amigos. São momentos especiais. Claro que o futebol está sempre presente e muitas vezes dou por mim parado em frente a uma televisão em qualquer parte a ver um jogo. É o VICIO.

 

O Paulo, terminou a carreia com 38 anos e aí começou a ser treinador… hoje em dia já se vê muitos treinadores com 20 anos, porque acha que há esse fenómeno? Na sua opinião é bom para o crescimento dos GR ou atletas? Partirão esses treinadores em vantagem relativamente a GR que jogue até mais tarde e depois queiram ser treinadores?

Penso que é muito natural isso estar a acontecer pois o futebol mudou muito desde que eu era jogador. Nessa altura ganhava-se mais dinheiro e os clubes, mesmo de divisões inferiores, pagavam bem. Hoje em dia é muito difícil e muitos jovens optam muito mais cedo por se preparam para serem treinadores. Penso que é muito bom pois no futuro estarão muito mais preparados para terem sucesso.

Se será ou não uma vantagem em relação a quem jogou ate mais tarde, sinceramente, não sei. Penso que não podemos olhar a idades mas sim há qualidade demonstrada no trabalho que vai ser desenvolvido no dia-a-dia.

Felizmente, eu sempre dei abertura a esses jovens e incentivo-os para que queiram ser treinadores e para que nunca desistam desses sonhos. Recebo todos dias mensagens na minha página oficial de treinador no facebook para dar minha opinião sobre o trabalho de muitos jovens treinadores que juntos partilhamos sempre muitas ideias. Considero que esse é o grande segredo para o sucesso, PARTILHAR! Não vale apenas pensarmos apenas em nós só porque estamos, neste momento, num patamar mais elevado do Futebol. Eu adoro falar com toda a gente e todos os dias aprendo com esses jovens.

 

A partir de que idade é que um atleta deve começar a ter um treino específico de guarda-redes, sabendo que no fut.7 os atletas estão sempre com ideias de mudar de posição?

 Eu penso que a partir dos 12 ou 13 anos, possivelmente, já tem a certeza que querem ser GR e aí poderemos desenvolver um trabalho específico com eles. Mas não sei, realmente, se estarei certo pois não tenho experiencia com o treino de jovens pois, sempre treinei Futebol Profissional. Contudo, quando acompanho o que se faz nas academias acho que esta seja a idade.

 

 O treinador principal, sabe exatamente o trabalho que faz com os GR? A sua metodologia? É uma planificação em conjunto ou apenas da sua parte?

Até agora tive a felicidade de ter autonomia total para fazer o meu trabalho e organizar os meus treinos consoante o que eu acho que será melhor para os GR. Mas há sempre uma planificação em conjunto para que possamos estar em sintonia e treinar os GR com a integração no modelo de jogo e nos princípios da equipa.

Tenho sempre reuniões com o Treinador principal e dou-lhe a minha planificação e por vezes os tempos que preciso durante o nosso micro ciclo.

 

Costuma analisar vídeos de treino e jogos com os seus GR? Onde incide mais essa análise? É feita em privado ou com os restantes jogadores?

Eu acho que a principal arma, hoje em dia, de um Treino de Gr será o vídeo e eu filmo todos os treinos desde do trabalho específico ate há integração com a equipa. A seguir ao treino vou analisar e edito os treinos para cada GR entregando a cada um deles para que possam ver em casa. No dia seguinte e antes do treino temos um pequeno MEETING em que vimos os vídeos, onde eles me dão o seu feedback e explico o que pretendo retificando as posições e as questões técnicas.

Algumas vezes tenho reuniões em privado com um GR quando há algo que eu quero falar com mais detalhe.

Também temos todos os dias o nosso trabalho de casa. Eu escolho 3 jogos que tenham sido realizados no dia anterior e envio para os GR os Links dos resumos. Posteriormente, poderemos ver e discutir os vários momentos do jogo em que outros GR por todo o mundo fazem.

 

Como é um Microciclo tipo em competição?

Durante a competição treinamos, normalmente, 5 ou 6 vezes por semana. Há um dos dias em que os GR têm um treino apenas comigo. Vamos para o campo apenas para trabalhar os posicionamentos e algumas bolas paradas, assim como, algumas questões táticas.

 

Normalmente, quanto tempo de treino faz trabalho específico com os GR? É sempre o mesmo semanalmente?

Normalmente, em média para cada treino eu fico com os GR os primeiros 30 a 35 min. Depois integram o resto do treino com a equipa. Se durante um dos treinos eu sei que o tempo pode ser um pouco mais reduzido, eu falo com o treinador e vou para o campo um pouco antes com os GR e assim posso sempre ter o meu plano com eles.

 

O que é mais difícil para um treinador conseguir mudar /alterar /treinar num GR?

Na minha opinião o que pode dar mais trabalho, é quando tens um GR com muitos anos de experiencia que, por vezes, até teve algum sucesso, mas a forma de defender nem sempre é a melhor, tornando mais difícil fazê-lo acreditar que pode mudar e melhorar. Mas a relação de confiança que se estabelece permite criar um compromisso forte com os GR e passar-lhes que, se juntos conseguirmos alterar este ponto ou um simples detalhe que isso poderá vir a ser muito importante para ele e que juntos vamos conseguir chegar ao objetivo que queríamos.

 

Quais as principais diferenças do treino específico de GR da sua altura como jogador e actualmente?

São enormes. Na minha altura, tive algumas épocas que nem Treinador de Gr tinha na equipa Éramos nós GR que dávamos o treino uns aos outros, sendo a maioria das vezes, corrida de 20 minutos antes de cada treino como aquecimento. O que se chamava de treino específico eram remates e mais remates por alguns jogadores que ficavam no final de cada treino.

Hoje em dia, há uma qualidade enorme no Treino do GR e tudo é pensado, revisto e analisado ao pormenor. Os treinadores têm o cuidado de trabalhar todos os momentos do jogo e uma preocupação com a integração do Gr no jogo.

Todos os pormenores técnicos, táticos, físicos e psicológicos são trabalhados durante a semana e ainda temos a principal arma, hoje em dia, que é termos toda a informação sobre o adversário para percebermos pontos fortes e pontos menos fortes.

Hoje o treino é fantástico e com grande qualidade!

 

Cada vez mais o GR participa no jogo com os pés, como vê e trabalha essa evolução do jogo?

 Hoje é muito importante o Gr estar preparado para integrar o jogo da equipa e participar no processo de construção de jogo e nas transições que a equipa tem elaboradas. Fazemos exercícios para treinar esses momentos para depois fazerem o transfere para o jogo da equipa.

 

Quais os seus treinadores de referência? Qual o GR que gostaria de trabalhar? E o melhor que já treinou?

Toni Oliveira é sem dúvida alguma a maior referência que tenho como Treinador e Homem. Nunca poderei esquecer tudo que consegui aprender e evoluir como treinador. Ele é um dos grandes responsáveis. MLADENOV outro Treinador e Homem incrível. Ambos, são pessoas com uma paixão e capacidades profissionais muito grandes e é a eles que devo esta minha evolução como treinador estando mais preparado para conseguir os meus objetivos e sonhos.

Mas sem dúvida que o melhor treinador do mundo, para mim, é José Mourinho, É um vencedor, um líder incrível e tem uma paixão imensa pelo que faz. Adoro seguir a sua carreira e lutar para um dia ter a capacidade de treinar com ele. É um objetivo meu poder fazer parte da sua equipa técnica.

O GR que eu gostaria de treinar era o Courtois. Admiro a sua evolução como GR e penso que ainda tem mais para dar. Estou certo que irá proporcionar ainda muitos momentos de grande prazer a quem tanto ama esta profissão.

O melhores Gr que treinei foram o Rais M Bolhi e o Agil Etemadi foram sem dúvida incríveis.

 

Qual o seu momento mais alto da carreira como jogador? E como treinador?

Como jogador foram as vezes em que consegui ser Campeão Nacional. Duas vezes com o Atlético clube de Portugal e uma vez com o Imortal de albufeira. Como Treinador ainda não tive a felicidade de ser Campeão mas tenho momentos enormes como todas as Finais que consegui e as vezes que fui Vice-campeão de vários países (Final da taça do Golfo- Final da Taça do Rei- 2 Finais da Taça dos USA- e fui Vice Campeão na Arabia Saudita-Irão-Bulgária).

 

Como técnico, deve se sentir um privilegiado, pois está inserido num campeonato que provavelmente será uma potência no futebol mundial, sente que está a contribuir para esse crescimento com a sua qualidade no treino específico de GR? Nota que está a ser uma referência para quem trabalha nesse campeonato?

 É incrível estar a treinar nesta Liga pois de ano para ano tem tido uma enorme evolução e é um espetáculo incrível com os estádios sempre cheios e com uma atmosfera fantástica. Ao nível dos meus treinos, realmente, estou muito feliz pelo feedback que tenho tido e sei que tenho aqui todas as condições para evoluir e ser um treinador muito melhor no futuro.

 

Há cursos específicos para treinadores de GR? Quais aconselha?

A questão dos cursos de treinadores de GR talvez seja a maior vergonha que existe no Futebol português. Sinceramente, nem consigo já falar acerca disso e muito menos tenho palavras para descrever a imensa tristeza que sinto quando vejo o que se passa.

Contudo, há muitas formações a serem feitas em Portugal, por Treinadores Portugueses muito competentes, que fazem muito pelo treino de GR.

Sem essas formações e sem a capacidade e profissionalismo desses TR então seria muito difícil para quem quer aprender e evoluir todos os dias, ter algo de qualidade em Portugal.

Mas como frisei, sinto uma tristeza muito grande, por tanta gente atrapalhar a evolução do treinador em Portugal, pensando apenas em dinheiro, mantendo o seu cantinho para ver se ninguém nota e assim vamos vivendo em relação ao Cursos de treinadores de GR.

O que posso aconselhar a todos os Treinadores de GR em Portugal é tentarem pelo menos ir a essas formações e através da Net ver algumas coisas, pois existem coisas com muita qualidade de vários treinadores espalhados pelo mundo.

 

Qual a opinião que tem dos treinadores Portugueses? E no caso específico de treinadores de GR?

Em Portugal há muitos treinadores com uma qualidade fantástica e com uma paixão única pelo treino. Eu sou testemunha disso porque posso fazer uma comparação no que se passa fora de Portugal.

Eu trabalho fora de Portugal há 8 anos e já passei por vários países e realmente o Treinador em Portugal tem uma qualidade muito boa.

E atenção que não falo apenas de quem trabalha em Portugal nos clubes conhecidos. Falo em muitos treinadores que estão espalhados por diversas divisões e também na formação. Eu, felizmente, tenho tido a sorte de ser convidado para estar em muitas formações e também em vários clubes e Escolas de GR para tentar partilhar e ajudar quem tem o sonho de um dia ser Treinador profissional. Tenho assistido a treinos fantásticos, falei com treinadores incríveis com ideias e com processos de treino muito organizados e com muita competência.

E mais uma vez só posso ficar orgulhoso por se lembrarem de mim com tanto carinho. Deixo aqui a minha sincera opinião- Aprendi muito com todos com quem estive e partilhei ideias.

Nada me pode fazer mais feliz do que estar junto de quem quer seguir este sonho e querer sempre aprender mais. A qualidade existe em Portugal.

 

Qual a sua opinião acerca da WICOACH?

Em relação à WICOACH, penso que foi uma ideia muito boa ter uma plataforma de grande qualidade que vem ajudar muito os Treinadores. Penso que é um projeto com um futuro muito promissor e que vai crescer de dia para dia.

Sem dúvida alguma que merece os meus sinceros PARABÉNS e um desejo de continuidade e felicidades para o vosso trabalho!

 

 Muito Obrigado pela disponibilidade e colaboração.

Partilhar:

Comentários

O que se passa hoje?