CARTA ABERTA A CRISTIANO RONALDO

CARTA ABERTA A CRISTIANO RONALDO

Publicado por Wilson Teixeira · 12/7/2016 no Facebook

 

Cristiano, sei que estas palavras são apenas mais umas das muitas que te escrevem diariamente e que te tentam fazer chegar.
Por todo o globo terrestre, há hoje gente que te segue, que te admira e que te idolatra. Eu sou apenas mais um desses, embora hoje em dia, seja muitas vezes mais comedido nas minhas emoções do que antigamente - talvez pela experiência dos 29 anos de vida e pelos 22 anos que tenho ligado ao futebol (os primeiros 10 anos como jogador - onde tive o privilégio de te defrontar por uma vez - e os últimos 12 como treinador) - que me dão a frieza de perceber certas coisas que os comuns mortais não compreendem.

Hoje em dia é inegável que és planetário.
Desde o motorista de tuk-tuk no Bangladesh até ao Presidente dos todos poderosos Estados Unidos, Barack Obama, já vi pessoas de todo o Mundo a elogiarem-te, a emocionarem-se contigo e a admirarem tudo aquilo em que te tornaste!

Nada mal para um miúdo que em 1997, veio sozinho da Madeira, viver para Alvalade e lutar por um sonho, hein?

Tu não sabes, mas eu comecei a admirar-te aí!
Em Alvalade!

És exactamente dois anos mais velho do que eu (fazemos anos no mesmo dia), e em toda a minha infância (e se calhar ainda hoje) eu habituei-me a idolatrar todos aqueles que envergavam a camisola verde e branca. Tu eras mais um. Mas eras especial. Sempre foste! Sempre tiveste uma palavra a dar, um gesto de carinho, um sorriso e tinhas uma luz que emanava tudo quando tu passavas.
Todos sabíamos que eras diferente. Que eras especial.

Lembro-me perfeitamente de estar a pintar ou preparar coreografias, na antiga "casinha" da claque à qual eu pertenci, e de te ver de sandália no pé e de calça à boca de sino à porta do restaurante que havia ao lado da porta 10A do antigo José de Alvalade, onde ias normalmente almoçar...

Nessa altura estavas ainda nos juvenis.
Já parecias e tinhas a pinta de uma estrela dos seniores!
Toda a gente te admirava. E quando falavam contigo sobre o jogo que tinhas acabado de fazer, tu ficavas ali, a explicar ao pessoal como tinhas feito aquele passe, aquele remate, aquele golo e aquela finta que nos tinha deliciado a todos. Ficavas ali por horas... a falar com a malta.
Eras tu. Na tua essência. Puro e genuíno.
O Cristiano Ronaldo que todos os teus críticos nunca tiveram oportunidade de conhecer!
Porque se tivessem, era impossível continuarem a criticar-te!
És puro. És genuíno. És boa gente.
Tens um coração do tamanho do mundo.
Mas não precisas de demonstrar ao Mundo tudo o que és. E isso confunde as pessoas que nunca te viram na tua ingénua genuinidade.
Eu sinto-me um privilegiado.
Porque tive o prazer de a ver!

Ontem deste-me mais um exemplo daquilo que és feito.
Lutaste por ti e por nós!
Deste tudo de ti até ao último esforço. Tentaste!

Mas foste também uma vítima do futebol moderno. Sabemos que no futebol actual tudo se sabe e tudo se prepara. Desenganem-se os que pensam que tudo é por acaso. Eu não sei se foi um acaso ou não, não tenho a certeza para o afirmar, mas sinto que aquele golpe que te deram no joelho esquerdo, foi baixo.
O teu joelho esquerdo é aquele que todos sabemos que nos últimos tempos tem sido o teu "calcanhar de aquiles". Todos os que estudamos e estamos no futebol, sabemos dos problemas que ele te tem dado.

E não consigo acreditar que aquela entrada de ontem foi casual ou não intencional.
Gostava de acreditar no contrário.
Mas conhecendo o futebol como o conheço, não consigo.
Senti que o que te fizeram foi uma tremenda malandrice e sujeira, que muitas vezes acontece no futebol actual.

Senti a tua dor. Chorei contigo. As lágrimas escorreram-me pelo rosto. Não pela selecção. Mas por ti. E por mim. Porque sei que aquele era o jogo da tua vida. Porque depois de teres tido tantas outras oportunidades perdidas noutras competições e depois de teres colocado de novo o teu país nesta competição quando estivemos fora dela, merecias jogar aquela final. Porque aquele momento era teu e roubaram-to. Não foi justo! Não merecias o que te fizeram, Cris!

Aquele momento doeu-me.
Mas não tanto como a ti, por certo!

Tentei-me colocar no teu lugar.
Pensei o que eu faria naquele momento ao tipo que te fez aquilo. Pensei na raiva que podias sentir. Pensei na dor que te invadiu a alma.
E acho que no teu lugar teria pensado em partir tudo à minha volta, naquela hora em que saíste de maca e tiveste um estádio inteiro a aplaudir-te.

Enquanto as lágrimas me escorriam pelo rosto, lembrei-me do rapaz das "sandálias e das calças à boca de sino". Lembrei-me das histórias do "pessoal" que gozava com as tuas dificuldades.
Lembrei-me da forma como tiveste que crescer longe da tua família de sangue, quando te mudaste para junto da tua família do coração.
Lembrei-me de todos os momentos difíceis da tua vida e da tua carreira, que fizeram de ti o profissional e o homem que és hoje!
Lembrei-me que não seria aquele momento que te faria desistir.

E cheguei à conclusão de que aquele momento seria oportunidade para que os teus colegas, que tu tanto sempre valorizas, conseguissem dar-te a maior das recompensas que podias ter no final: o título!

És uma inspiração para qualquer pessoa.
Fazes das fraquezas forças e transformas as dificuldades em motivações para alcançares os teus sonhos e objectivos.

Confesso-te que eu já pensei em desistir muitas vezes dos meus sonhos perante as dificuldades (e como tu bem sabes, naquilo que quero também tenho muitas) para alcançar esses meus sonhos.
Mas foste tu e as dificuldades que tu tens ultrapassado que me deram e me dão forças para continuar! És um exemplo! Para mim e para todos os que querem vingar na vida!

A história da tua vida dava para um livro ou para um filme. Daqueles em que não conseguimos acreditar que o argumento seja real. E daqueles livros ou filmes que não cansariam de ler ou de ver. Mas tudo o que tens feito por ti, pela tua família, pela tua carreira e acima de tudo pelo teu país, já é demasiado grande para caber num simples livro ou num filme, por muitos grandes que eles fossem!

Não sendo ninguém para te pedir seja o que for, termino estas linhas deixando-te três pedidos. Que aos 33 anos aproveites e faças a tua magia no próximo Campeonato Mundial, que aos 35 anos batas o record de golos marcados nos campeonatos europeus e que um dia regresses à tua casa... à nossa casa!

OBRIGADO POR TUDO, CRISTIANO!

Partilhar:

Sobre Wilson Teixeira

Wilson Teixeira

Jovem, nascido em 1987 mas já com experiência no treino desde 2005...

  • E-mail

Comentários

Filtrar Análises

O que se passa hoje?