Chelsea vs Everton - Aprender a jogar em 1-3-4-3

Chelsea vs Everton - Aprender a jogar em 1-3-4-3

Jogo Chelsea vs Everton Este Chelsea de Conte tem sido uma verdadeira aprendizagem, muito bonito de se ver. Ideias bem vincadas pelo treinador. Como jogar em 1-3-4-3. Fabio Quagliarella, explicou o que é trabalhar com ele: "Com o Conte, tu vais morrer nos jogos e nos treinos... Vais ter que dar tudo. A intensidade nos treinos era tão alta, que vias a diferença nos jogos. Ele é um génio táctico, é fenomenal na forma como te prepara tacticamente..." Relembrando o que disse Carvalhal (livro ?Entre Linhas?) - Capítulo 16. Modelo de Jogo: ?O modelo de jogo não é conjuntural, é essencialmente estrutural. Um treinador, ao ser contratado, está a transportar as suas ideias para uma estrutura existente.? ? ?A escolha de jogadores dentro de um conjunto de características devem, por um lado, ir ao encontro das ideias do treinador, e, por outro, perceber a filosofia, história e cultura do clube!? ?Modelo de jogo idealizado, porquê? Porque é aquilo a que aspiramos jogar, e digo aspiramos porque nunca o chegamos a atingir! O modelo idealizado está permanentemente a ser construído e reconstruído. Definimos princípios e subprincípios para cada momento de jogo. Quando pensamos que estão consolidados e estamos a melhorar outros, no jogo seguinte aqueles que momentaneamente ?abandonámos? deixam de se manifestar com eficácia.? ?O jogo tem um fluxo contínuo. Quando falamos em princípios de jogo falamos da sua articulação, não só entre si, como também da relação e articulação com os subprincípios e concomitantemente a articulação entre estes. Aqui revela-se o treinador gestor do processo, na necessidade de hierarquizar os princípios e subprincípios (e sub dos subprincípios?) de modelar comportamentos através da inovação de exercícios, incutindo uma forte matriz emocional, sem nunca perder o sentido no ?desmontar? desse mesmo todo, de forma a reduzir sem empobrecer. Isto é, temos um problema para resolver na equipa, queremos treinar sobre um grande princípio e enfatizar as relações com os subprincípios. Ao organizar a unidade de treino devemos ter cuidado de, ao ?fracionar? o jogo para inovar determinado exercício, não perder o sentido do todo.? ?A matriz emocional do treinador no processo transmite a sua singularidade. Ele é único, os clubes, as equipas, os jogadores são todos diferentes, num processo que deve ser de ensino-aprendizagem, emergindo a figura do treinador na gestão e modelação de comportamentos e emoções, direcionando-os intencionalmente para a sua ideia de jogo, que é única, logo singular. Cumpre ao treinador-gestor fazer evoluir a sua ideia, através da sua sensibilidade para detetar onde o processo está a crescer ou a mirrar, que relações entre princípios e estes com subprincípios devem acentuar, num processo extremamente dinâmico. Assim o modelo de jogo cresce, configurando um todo que é muito mais que a soma das partes.?

Partilhar:

Sobre Ricardo Alves

Ricardo Alves

Actualmente: -Treinador Principal: Sport Lisboa e Benfica; Benfica Escolas de Coimbra. -Observador/Analista de Performance no Clube Desportivo de Tondela, Futebol Profissional, 1ª Liga Portuguesa ? Liga NOS. ...

  • LinkedIn
  • Site
  • E-mail

Comentários

Filtrar Análises

O que se passa hoje?